sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

1 ano se passou ...



"Hoje faz 1 ano sem te ver, ou melhor sem te sentir: sem sentir seu cheiro, seu toque, sem sentir meu toque em você.

Nunca pensei que isso aconteceria comigo, tento pensar que foi bom você ter ido embora, mas aí penso novamente, bom para quem? Para mim não foi e você já me disse que para você também não. Eu sei que se você estivesse aqui, nós não estaríamos mais como hoje. Tá bom, eu não sei de nada, você me disse que não conseguiria ser só meu amigo, aff ¬¬ por que você me diz essas coisas hein? Machuca-me tanto saber que não estou com você, que só posso te ver e ouvir, isso é pouco para nós dois e você sabe disso, mas é o máximo que podemos ter um do outro.

Lembro-me da última vez que nos vimos (fazia poucos dias que eu tinha percebido que estava errando em tentar te esquecer com outra pessoa, mas era isso o que mais tentava fazer), eu estava indo pra facul pegar os novos horários, quando vejo você e um amigo nosso sentados no barzinho em frente, você sorriu e eu fui falar com vocês*. Foi normal e ao mesmo tempo diferente, não sei se enxerguei demais, mas foi como se seus olhos brilhassem (tá, acho que realmente enxerguei demais, vamos pular essa parte), foi normal porque eu estava acostumada ao te ver sentado ali, mas foi diferente porque simplesmente foi diferente, foi a última vez que nos abraçamos, você me chamou de magrela, brincou comigo, ficou preocupado com minha gripe que não sarava nunca, me pirraçou um pouco e eu fui pra facul, estava meio que insuportável te ver, mas não te ter, quando eu saí da facul você ainda estava lá, mas não tive coragem de ir te dar um outro abraço, acenei e segui, sem olhar para trás sabendo que estava sendo observada. Essa é realmente a minha última lembrança de nós dois sem a barreira do pc. 

Quando cheguei em casa, você tinha me mandado uma mensagem querendo me ver, eu ainda estava em dúvida, eu estava com muito medo para falar a verdade, do meu sentimento por você, então resolvi pensar, pensei demais, pensei tanto que quando te respondi você já tinha ido embora, foi um dos dias mais tensos, fiquei sem reação, estava me  culpando e ao mesmo tempo culpando você por ter me negado esse detalhe crucial, até “brigamos” por causa disso meses depois, e você me deu uma resposta que me deixou calada, rsrs, é que eu sempre espero o pior de você, mas você não costuma vir com o seu pior. Fiquei com tanto medo que perdêssemos contato, que nos esquecêssemos, foram dias difíceis os que fiquei sem notícia sua, não sabia nada de você, exceto que teve que voltar pra sua cidade, coisa que depois de algum tempo você me explicou um pouco do porque do retorno, não tudo, isso tenho certeza, mas não forcei barra. Você voltou para sua cidade, cidade essa que é distante demais da minha, distância que impede que nos sintamos, mas não impede que continuemos tentando. E você continua comigo, até mesmo quando eu penso que não sou mais nada para você, até mesmo quando o meu orgulho é maior que o seu, você continua comigo, que sabe quando estou com sono, que me “ouve” quando estou chata, feliz, irritante, que briga comigo, que pede para eu ter calma, que me pirraça... E por tudo isso que é pouco, mas é tudo que podemos ter e ser um para o outro, que toda vez que penso em desistir, eu não desisto.

Ainda me questiono sobre os meus sentimentos, sobre os seus sentimentos, me questiono, se é verdadeiro, até onde isso vai levar, me pergunto se é verdade que conseguimos ficar assim há tanto tempo, então paro e me deixo viver, até que acabe. Já tentei várias vezes antecipar o fim, mas nunca consegui, e quando paro para pensar, agradeço por não ter conseguido, é bom estar contigo, você me faz bem!!!

*VOCÊ"


HAHA! Mais uma vez escrevendo para ele e tendo a certeza de que ele não vai ler, mas quem sabe um dia eu possa me revelar, e mostrar para ele o que sinto, que tenho dificuldades em me expressar, mas nas palavras escritas eu me liberto, me deixo levar. Quem sabe...

O que posso dizer é que ele é muito importante para mim, que um dia eu posso não mais sentir o que sinto por ele, mas o que ele foi para mim, isso nunca vai mudar, independente de tudo. Que pode passar 10, 20, 50 anos, enquanto eu tiver memórias, meus cadernos-diários, e internet para olhar o blog, eu me lembrarei dele. Foi um ano de saudades, mas não foi um ano para me fazer esquecer, lembro-me dele, cada detalhe, sorriso, olhos, a mania de pegar nas sobrancelhas, o jeito de andar, de falar, tudo. E pode ser que um dia eu não me lembre disso tudo, mas dele eu não me esquecerei.


Hatinha

3 comentários:

  1. Lindooo o que escreveu... Estava atras de histórias assim pois essa semana vai fazer um ano que também estou sem o cara que eu amo, a diferença é que ele não me ama... Também tenho um blog no qual escrevo sobre a nossa história mas ninguém sabe da existência dele... Não desiste por causa da distância, quem sabe ele volta a morar perto de ti daqui um tempo, ninguém sabe o dia de amanhã... Beijo!

    ResponderExcluir
  2. Não precisa aceitar, só me identifiquei com algumas coisas e queria que tu soubesse que tu não é a unica, pois eu sabendo que não sou a unica me sinto melhor, queria passar isso pra ti!! Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É sempre bom sabermos que não estamos sós!!

      Beijoo

      Excluir