terça-feira, 12 de abril de 2011

Tudo Muda

Pior do que se sentir perdida é perder-se em si mesmo. No emaranhado do que você acredita misturado ao que você é ou era. O que você acredita, apostando corrida com o que você mais detesta. O que você tem, jogando palitinhos com o que você quer. Seu amor e suas dores na linha de chegada e o coração de juiz em dia de clássico.

Eu não sei se você entende o raciocínio de quem não tem raciocinado ultimamente ou se entende o porquê de certas coisas que não se explicam.


Quando a cabeça não pensa o corpo padece. Mas quando a cabeça pensa demais será que nossa alma enriquece?


Você cheio de indagações e de táticas que não fazem o menor sentido. (pelo menos para você ou pelo menos naquele momento).


Suas certezas mudam, suas prioridades deixam de ser prioridades já que você nem sabe mais o que deseja. Até sabe, mas está tão longe e você tão cansado que o mais fácil é deixar que as prioridades te encontrem e você pode fugir do que não interessa. Seus princípios enfraquecidos te cobram uma atitude e você cobra a coragem.


Seus olhos pesam e seu coração já bate fraco. De tanto que bateu a vida inteira. De tanto chorar amor e fracassos. De tanto chorar pelo leite derramado você decide que se entender é complicado demais. O quente queima e o frio é gelado demais, vai o morno mesmo que não causa sensação alguma e no momento você não tem sequer condições de sentir algo.
Sentir dá trabalho e trabalho acarreta uma série de responsabilidades. Responsabilidade é chato demais e não aquece seus pés nos dias frios.

Você enfim, opta por decidir somente pelo necessário
. Pelo que realmente vai fazer alguma diferença em sua vida e desiste de tentar equilibrar-se, isso é para artista circense e você nem gosta tanto de circo. Melhor deixar assim.

Uma porta de saída e uma de entrada. O que vale fica e o que não vale que valesse. Nada de culpa ou de noites mal dormidas, nada de coração na boca em de frio na barriga.


Certas coisas não se explicam. Não existem palavras que as descrevam ou soluções que as resolva . Sentimentos, gestos, sonhos e sorrisos. A alma entende e a boca cala.


Fernanda Mello



Mais uma vez a Fernanda Mello falando por mim o que não consigo traduzir perfeitamente.

Se tudo muda por que as pessoas não mudariam?
Essa é a pergunta que me faço hoje, será mesmo que as pessoas não mudam? Eu acredito na mudança das pessoas, tanto para o "bem" quanto para o "mal" (é que não acredito em pessoas totalmente boas e nem em pessoas totalmente más, porém acrdito em mudamças). Ou será que eu sou a única tonta que acredita que as pessoas podem mudar, que acretidam em mudanças que não espera nada de alguém, mas no fundo espera tudo (deve ser por isso que vivo me decepionando com as pessoas)? Já tentrei mudar esse jeito de nunca esperar nada de ninguem mas não consigo, é errado acrditar em mudanças, em pessoas? Se for me desculpe mas continuarei errando...

Eu andava bem, muito bem para falar a verdade, porém as vezes e do nada me bate alguma que sei lá. A facul não me deixava espaço pra mais nada, mas no breve espaço que deixou hoje não me trouxe coisas lá muito agradáveis. Já percebi que quando estou feliz (é como se não tivesse sentimentos, pelo menos não os ruins) não tenho dilemas, se não tenho dilemas não tenho vontade de escrever e nem tenho inspiração o suficiente, é como se me sentisse completa mesmo vazia, porém quando estou meio abalada sentimentalmente me sinto uma vazia completa e isso não me basta.

Começo a "aceitar" os meios termos e odeio meio termo, isso não me basta, não me atrai, porém é o que me "acalma" ultimamente, ou melhor: é o que ando vivendo. Às vezes me satisfaço com isso, porém às vezes isso me irrita tanto que não sei nem como me expressar, as palavras ficam engasgadas na garganta.

E as pessoas ainda me chamam de dramática, ODEIO quando me chamam de dramática.Por que? Porque dramatismo me lembra falsidade e se você não consegue me entender não me julgues, julgamentos me irritam, principalmente julgamentos erroneos.

Ando preferindo ou pessoas que me entendem ou pessoas que não me fazem sentir nada, pessoas que me julgam sem nem tentar me entender me irritam.

E mais uma vez eu me perdi em mim mesma ... =/

By Hatinha

5 comentários:

  1. minha querida, desculpa a demora, mas mt obrigada pelo carinho la no meu blog.



    volte qnts vezes quiser, pois smpre sera mt bm vinda!!!


    boa noite

    bjaooo


    http://cabecafeminina.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Esse seu post disse tudo,chega um momento que tudo parece que mudou e a gente fica meio perdido, mas há quem diga que a gente tem que se perder para poder se encontra né.

    http://www.profanofeminino.com/

    ResponderExcluir
  3. Sempre nos perdemos em nossos sentimentos, em nossas emoçoes.
    Nunca nos entendemos plenamente.
    São coisas da vida.

    Lindas palavras as tuas!
    Amei o texto!


    Beijos*

    ResponderExcluir
  4. Mais uma vez a Fernanda Mello falando por NÓS!

    É querida, realmente é muito dificil essa fase de perdas e ganhos, principalmente quando a perda refere-se a nós mesmas. Se eu te disser que essa revolta toda passa você acredita?
    Desculpe por não ter vindo logo aqui no seu cantinho, mal tava postando no blog, mas hoje encontrei o seu comentário por lá, pelo que percebo temos os gênios bem parecidinhos não é?
    rsrsrsrs

    vim e fiquei. Estou te seguindo

    beijos

    ResponderExcluir
  5. Vivo me perdendo em mim, em minhas emoções...
    no começo acreditava que isso era coisa de louca como todos me diziam, hoje quase irmã vejo o quanto saio, se é que saio por completo...melhor de cada uma dessas crises, dessas viagens feitas dentro de mim....

    lindo escrito !

    ResponderExcluir